Por Ricardo Stumpf Alves de Souza

sexta-feira, 26 de março de 2010




NUDH

Prezados amigos leitores

Estive ontem, dia 25 de março, em Vitória da Conquista para assistir a inauguração do Núcleo de Direitos Humanos - NUDH de prevenção e combate à homofobia, situado na Av. João Pessoa, 433, centro.
É o primeiro núcleo deste tipo no Estado da Bahia e, só para dar uma idéia da importância desse programa, estiveram presentes, o Prefeito Guilherme Menezes, o Secretário de Justiça e Direitos Humanos, Nelson Pelegrino, vários secretários municipais e um representante da câmara de vereadores, além de movimentos sociais organizados.
O Núcleo conta com um advogado e uma psicóloga, encarregados de acolher e encaminhar vítimas de preconceito ou violência contra o chamado segmento LGBTT (lésbicas, gays, bi-sexuais, travestis e transgêneros), ou seja, a psicóloga acolhe, orienta e ajuda a vítima a enfrentar a situação e depois o advogado acompanha à delegacia ou ao local onde houve a discriminação, dependendo do caso, prestando apoio legal.
É o primeiro programa voltado para os direitos humanos e cidadania deste grupo tão agredido e discriminado na nossa sociedade. Uma iniciativa corajosa e justa, por parte dos governos Wagner e Guilherme Menezes, que esperamos, se expanda, garantindo o direito à diversidade sexual da nossa população.
Parabéns a esses governos do Partido dos Trabalhadores.

Prêmio Ficção 2010

Recebi ontem um e-mail de uma senhora chamada Lúcia de Fátima, do Sebrae, me comunicando que Rio de Contas foi eleita Cidade Baiana da Cultura 2010. Vejam um trecho deste e-mail: 

A escolha da cidade considerou a qualidade e viabilidade do programa cultural apresentado, a contribuição para o fomento da inovação artística e a criação de novas formas de ação e de diálogo cultural, a participação das camadas sociais menos favorecidas economicamente em ações que contribuam para a sua inclusão social e cultural, o fomento ao turismo cultural de qualidade, o grau de coesão social (participação do poder público, iniciativa privada e sociedade civil) em torno da candidatura da cidade, entre outras questões.
Sobre a vencedora, destaca: “Rio de Contas é merecedora do título. Conferimos uma apresentação bastante técnica, objetiva e sensível”.

Agora eu pergunto aos leitores:
1) Qual o programa cultural de Rio de Contas? Vocês conhecem alguma programação cultural elaborada pela prefeitura, ou com apoio dela, na nossa cidade?
2) Fomento da inovação artística? Isso só pode ser piada.
3) Criação de novas formas de ação e de diálogo cultural...: gente, o diálogo não é o forte dos nossos governantes, concordam?
4) Participação de camadas sociais menos favorecidas...: deixo para os leitores opinarem.
5) Fomento ao turismo de qualidade cultural: será que eles se referem ao carnaval de João de Carlito?
6) Coesão social em torno da candidatura da cidade: alguém sabia que Rio de Contas era candidata? Os artistas da cidade foram consultados? Concordam com o prêmio?

Considerando tudo isso, só posso concluir que nosso projeto entrou na premiação errada. Devem ter se enganado e se inscrito num prêmio de literatura de ficção. Bom, se não for ficção o nome disto é fraude.

Abraço a todos

Ricardo Stumpf

17 comentários:

Anônimo disse...

Participo de uma manifestação cultura relacionada a dança e cantorias na cidade, não me identifiquei devido à grande perseguição que está ocorrendo. Eu até estava achando que Rio de Contas ganhou o prêmio por causa da grande variedade em cultura, mais após os tópicos listados por você Ricardo no e-mail recebido e texto publicado, estou totalmente convencida que este prêmio é uma farça, tem alguem que quer ganhar algo em cima disso e precisamos descobrir o quê.

Anônimo disse...

Em todos os itens relacionados para o prêmio de Capital da Cultura, Rio de Contas seria desclassificada. Será que a comissão julgadora não errou? Acho que eles tinham intenção de mandar uma nota justificando porque não foi desta vez que Rio de Contas entrou pro High Society da Cultura Nacional. VAI VER QUE LERAM ERRADO E ESTÃO PENSANDO DE VERDADE QUE RIO DE CONTAS É A CAPITAL DA CULTURA. ESTE PRÊMIO NÃO É UMA PEGADINHA? FAZ DE CONTA QUE A GENTE ACREDITA QUE EXISTE TUDO ISTO EM RIO DE CONTAS. NÃ0 SEI SE É PRA RIR OU PRA CHORAR. DÁ UM ROTEIRO TRAGICÔMICO PARA TEATRO AS COISAS DESTA CIDADE.

Anônimo disse...

Ricardo

Acho que vc e seus leitores não entenderam, pode ser que devido ao fato de não terem lido o edital,não conseguiram compreender que o concurso é para dar visibilidade ao municipio para investimentos futuros na cultura local, a partir de então é que a cidade receberá apoio para construção de politicas públicas voltadas à cultura, incluindo todos os segmentos sociais envolvidos. Te acoselho a ler o edital direitinho e procurar se informar melhor! Sábado dia 27 a comissão técnica responsável estará em Rio de Contas, tire suas duvidas com ela, e assim terá informações veridicas para publicar no seu blog. Olha, agora me retei, nunca vi vc nem esse povo de fora que chega aqui achando que sabe mais que a população local, por serem acadêmicos, fazendo porra nenhuma, não só pela cultura, mas por nada!
O que eu acho mais engraçado, é que tenho certeza, de que quando começarem a aparecer editais, vcs e seus projetos de captaçaõ de recursos vão utilizar exatamente a menção deste prêmio que hoje vcs estão criticando tanto. HAHAHAHAHAHAHA

Anônimo disse...

Minha Filha você é burra!
não leu o texto publicado, lá não falou em nehum momento sobre isso, tá bem claro que rio de Contas Ganhou o prêmio, "segundo o texto"
a contribuição para o fomento da inovação artística e a criação de novas formas de ação e de diálogo cultural, a participação das camadas sociais menos favorecidas. Talvez inventarm tudo isso nos documentos enviados.

Anônimo disse...

Agora quem se "retou" foi eu. Se nunca fiz nada nesta cidade é porque "OS DE DENTRO'nunca deixaram, preferindo viver da mesquinhez de seus parcos conhecimentos a abrir "a rodinha" para que os "DE FORA" possam passar os seus conhecimentos e aprenderem com o povo daqui. Eu sou brasileiro, tenho o direito de viver em qualquer parte deste país sem ter que ter visto de entrada, mas em Rio de Contas se você é de Livramento já é estrangeiro. Como é pequena a cabeça de certas pessoas daqui, não respeitam nem a constituição brasileira que proíbe este tipo de discriminação. Eu sou Rio Contense por opção, pior é nascer aqui e viver sonhando em ir para "Sum Paulo".

Flor disse...

Não entendo por que todos que aqui falam não se identificam. Vamos dizer o que pensamos às claras! Ricardo o fez e os restante fica só comentando sem nomes? O que falta em Rio de Contas é um diálogo aberto, é ser franco. A sinceridade entre nós a população, entre o governo e os cidadãos, a inscrição da cidade em premiações condizentes...
Que medo é esse? Estamos na era medieval? Quando iremos sair da caverna? Me refiro ao mito da caverna de Platão.
Este prêmio é uma piada, sim. Só não o acha quem está fora da realidade de Rio de Contas ou quer proteger um governo que infelizmente não está nos apoiando, digo nós o povo, com sua ciultura, educação, saúde...
Vamos lá, tentem falar e assinar, não é tão difícil assim!
Flor Violeta

Miguel disse...

Cheguei agora da rua e Flor me colocou a par da discussão do prêmio farsa. Claro que eu quero participar, como o tenho feito em diversas situações que envolvem apoio à cultura, mesmo em algumas que depois verificamos não dar em nada. Farsas. Apenas farsas. Primeiro acredito que as pessoas devam se identificar, isso é importante, mas procuro entender por que algumas não o fazem. Nosso governo não é transparente, tampouco seria justo, existem muitos casos de perseguição política, nem precisam ser citados, todos no afã de proteger o investimento de alguns poucos. Esse prêmio é mais uma máscara, ainda hoje conversando em sala de aula com minha turma do 3º ano eles foram objetivos em externar seu descontentamento, com o parco apoio dado a cultura em nosso município, então vamos tomar cuidado quando desacreditamos desse povo, não o faço, acredito no potencial que aqui se mostra, o que é preciso são mais iniciativas, ou verdadeiras iniciativas. Portanto, estamos presenciando o fato de que as pessoas estão acordando, ninguém mais quer ser capacho, mal tratado, discriminado, roubado, a palavra de ordem agora é liberdade de pensamento, se eles ainda não estão suficientemente esclarecidos, para isso temos as escolas, as ruas, os lugares que podem trazer algum aprendizado. eles inclusive questionaram de onde surgem tantos carros novos, e aos gritos, - prefeitura rouba, Márcio é um "pau-mandado", nessas horas é preciso acalmá-los, ninguém tem provas, ninguém pode ser acusado em vão, mas um dia nós saberemos, pelo menos, onde anda a ponta do iceberg. Se esta ou aquela secretaria não corresponde, nem de longe, aos nossos anseios, logo, logo, as coisas irão mudar. O que se sabe é a vergonha de se ver gente se vendendo para ocupá-las, a política que se faz hoje em Rio de Contas é a do "A farinha é pouca, meu pirão primeiro", então, com a cultura não poderia ser diferente. Afinal para que gastar dinheiro com algo tão valioso, vamos privilegiar o carnaval, que é festa de massa, para animar a boiada, tirar um troco, e seguir adiante. As pessoas que lidam com cultura, tenho conversado com algumas, sequer sabem o que significa. Ficam pulando de galho em galho, para se posicionar melhor, mas não fazem cultura. Como foi colocado, o prêmio é para atrair dinheiro com a visibilidade, mas implantando uma mentira? Como aconteceu no carnaval? Os turistas indo embora no segundo dia por que não houve o carnaval de marchinhas? Com uma banda pobre, mas o que dizer, mal paga.

Miguel disse...

Falar do povo de fora, numa atitude xenofóbica, deplorável..., Mas por favor, se identifique, não me acho de fora, sou mais riocontense do que muitos que aqui se encontram, afinal faço muito pela minha cidade, a citar, pelo menos não onero os cofres públicos. Mas se identifique, para sabermos quem és, e para lhe lembrar que discriminação é crime previsto em lei.
Li o edital, vou ler mais cem vezes, não acredito que minha conclusão sobre o que se faz pela cultura em Rio de Contas irá mudar. Tivemos muito, mas atualmente é preciso que existam muito mais ações. Não podemos viver de passado, e no presente
o que se privilegia é música de massa, música pobre, que levam os jovens a ficarem como soldadinhos de chumbo. Andar pela cidade em época de carnaval ouvindo "vou te comer, vou te comer" é vergonhoso, nós que amamos qualidade de vida ficamos tristes, muito tristes.
E quem financiou o carnaval?
A quem interessa esse carnaval?
Meus alunos sabem, os jovens que também estiveram lá dançando, bebendo, se divertindo, mesmo eles, são ostensivos quando falam desse carnaval que não traz nada mais para Rio de Contas do que arruaceiros.
Alguns daqui que fazem boa música ficaram de fora, como Ely Pinto por exemplo.
Quem fez esse carnaval detesta Rio de Contas, aliás, quem podou as árvores que faziam sombra em alguns lugares, também. Quem aluga seu próprio carro para a prefeitura e o usa como que por direito não entende nada de ética, como aqueles que criticaram duramente Márcio durante a campanha e agora estão ao seu lado, além de falsos, perigosos, mal intencionados, não amam Rio de Contas. Os que trabalham na prefeitura e alugam imóveis de sua família para mesma não fazem a menor idéia do que seja ética, não têm moral, o mais interessante em tudo isso é dizer que foi um aluno quem espressou esse descontentamento, como posso então duvidar dos nativos? Não me interessa de onde vêm as pessoas, já superei esse medo, talvez nunca o tenha tido, o que quero é ver a Música, as Artes Plásticas, a Dança, o Teatro crescendo em nosso meio. Aguardem para o segundo semestre o trabalho do grupo GISO, para os jovens daqui, projeto que estamos tocando junto com a IANRC, tá vendo, sem problemas, gente de fora e de dentro, ou melhor, todos daqui, por que somos pelo crescimento da nossa cidade, pela cultura.

Flor disse...

Gostaria de solicitar que tornassem público o projeto enviado pra esta premiação, no intuito de vermos então como foi apresentada a cidade de Rio de Contas à esta seleção.Já ouvi dizer que foi Paula secretária de turismo e depois que havia sido Saionara, do IPHAN. SEja quem for da prefeitura que elaborou tal documento solicito como cidadã ler e acho que muitos estão interessados em fazê-lo também.
Flor Violeta

Ricardo Stumpf disse...

Prezada Flor

Paula me disse que iniciou o projeto e depois o abandonou por falta de tempo e que Sayonara o completou.

Leo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Cultura de rio deontas cade? os jovens de Rio de contas e s contetão com unica coisa uma lam hause unica õpção de lazer agora querem afastar us jovem das drogas ralmente RIO DE CONTAS não s vive s vegeta agora acorda rio de contas vc ta parado no tempo !!!!

Anônimo disse...

Por falar em secretaria muncipal de meio ambiente fazendo projetos cuturais, gostaria de sugerir a vc, Ricardo, uma matéria com fotos sobre meio ambiente no município. Não precisa ir muito longe, basta olhar a beira dos rios e riachos onde a própria administração pública joga lixo e entulho. Onde está a secretária de meio ambiente que não vê isto? Será que ela agora tem medo de falar ou mesmo enfrentar o secretário responsável pela limpeza urbana? Quando era apenas militante ambiental sabia botar a 'boca no trombone', agora como secretária só fica no gabinete?

Anônimo disse...

realmente como seerctaria so sabe andar de carro para cima e para baixo nao se faz nada pelos nossos rios que estao sujos e mal cuidado e se falando em cultura a lam raus agora viror ponto de passar droga falo em DROGA mas uma vez por que ja presenciei um rapaz pasando droga la denrto da lam rause e nao se faz nada para a cultura de rio de contas a cultura de rio de contas so e lembrada quando tem algum evento deles que quer colocar eles para se apresentar

Anônimo disse...

A JUVENTUDE SEM OPÇÕES
Em todo lugar a gente vê torneios, gincanas culturais e esportivas, formação de grupos de dança, música e teatro. Em Rio de Contas, 'capital baiana da cultura' os jovens estão sem rumo nem direção. Não existe um projeto sério no sentido de levar à nossa juventude e às nossas crianças lazer e entretenimento sadios e edificantes. A única opção dos jovens de encontrar os amigos e trocar ideias é a lan house. Mas lá tambem se escondem outros perigos que podem seduzir facilmente jovens e crianças. Onde estão as autoridades que não tomam conhecimento dessas e de outras questões que preocupam pais e educadores? Fazer cultura não é colocar barraca de cerveja na praça e palco para bandas de última categoria. Os jovens e as crianças precisam de espaço, com orientação de pessoas capacitadas, para prática de esportes, artes e troca de conhecimentos. Temos na cidade ginásio e quadras de esportes, teatro, clubes e associações, além de praças, todos subutilizados. Que tal incentivar visitas aos ensaios da Lira dos Artistas como forma de despertar o interesse pela boa música e valorizar os músicos da nossa Banda que lutam com coragem e abnegação para manter viva a cultura local? Visitas ao Arquivo Municipal dão a real dimensão da história da cidade e de que nem tudo é a Dança da Bicicletinha. Por que não se promove torneio esportivo para a juventude. Onde está a secretaria de esportes que só promoveu campeonato para adultos e assim mesmo foi um péssimo exemplo pois era raro o domingo que não tinha briga. O riocontense perdeu a noção de conviver coletivamente. Só se reunem nas esquinas e mais nada. Precisamos salvar pelo menos a geração futura porque senão isto aqui vai cada vez mais regredir.

Anônimo disse...

Sou Brasileira, Terráquia , Via Lacteense e cidadã do Universo.
Amo a diversidade de culturas principalmente intergaláticas. Não me perguntem como eu vim parar em Rio de Contas!!! Bem, eu estava cheia de tanta cultura na vida profissional, então vim descansar de tanta cultura em Rio de Contas. Já descansei o bastante, agora quero trabalhar, isto é, fazer cultura, mas cadê? Pôxa, escolhi uma cidade onde a cultura é a do medo, da perseguição, da fofoca...
Quem disse que Rio de Contas não tem cultura está enganadovou listar as culturas de Rio de Contas:
-Cultura da família tradicional
-Cultura de exclusão dos "de Fora"
-Cultura da corrupção
-Cultura da politicagem
-Cultura da falta de vergonha na cara
-Fora as culturas acima citadas.
Quase me deu saudade do Dr. Pedro,
ele sabia sacanear com muito mais classe.

Anônimo disse...

O que a gente ouve e vê é muito blá blá blá e pouca ação. Vamos parar de resmungar e cada um fazer a sua parte. As ações falam mais que as palavras. De nada vai adiantar tanto chramingar tanto. Quem está fazendo as coisas erradas vai ter de acertar as contas mais tarde com Deus ou com o Diabo.